O Presidente da República no acto de abertura da 25ª Sessão da Conferência Ordinária de Chefes de Estado e de Governo da União Africana (UA)

image

O Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca participou ontem, 14 de Junho, no acto de abertura da 25ª Sessão da Conferência Ordinária de Chefes de Estado e de Governo da União Africana (UA), que se realiza sob o lema “2015, Ano do Empoderamento e Desenvolvimento da Mulher Rumo à Agenda 2063 de África”.

O evento que aconteceu na manhã de 14 de Junho e que prossegue, amanhã 15 de Junho, em Sandton, Joanesburgo, na República da África do Sul, contou com a presença de dezenas de Chefe de Estado e de Governo africanos, bem como outras personalidades mundiais. O anfitrião Jacob Zuma, no seu discurso de abertura da cimeira desejou as boas-vindas aos delegados e declarou que "estamos contentes em acolher a mais importante cimeira a nível continental no nosso país que vai abordar as questões importantes como a economia do continente, o desenvolvimento das infra-estruturas, a paz e a segurança e as relativas à saúde e ao desenvolvimento humano".

O Presidente sul-africano, Jacob Zuma, afirmou também que "os blocos económicos do continente devem trabalhar em conjunto para melhorar as trocas inter-regionais em benefício da economia africana". Zuma sublinhou a importância do bom posicionamento de África para beneficiar dos recursos mineiros de que abunda o continente. Vários outros Chefes de Estado e de Governo exaltaram, nas suas intervenções, o poderio económico africano e a necessidade de redimir os conflitos e enveredar para uma grande nível de desenvolvimento e cumprir com os objectivos preconizados para uma África daqui a 50 anos.

Na sua intervenção, o Chefe de Estado de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca pôs tónica na agenda 2063, que apresenta vários desafios, assentes numa nova visão de procura de respostas adequada para esses desafios, "procurando remover os constrangimentos existentes (políticos, sociais, económicos e jurídicos) que ainda condicionam a autonomização e o empoderamento da mulher e, consequentemente o aproveitamento das suas capacidades e dinamismo”.

::: Veja as imagens (clique para ampliar) :::

Reportando à campanha HeForShe das Nações Unidas - OnuMulheres em que ele foi o escolhido entre os 10 rostos mundiais dessa campanha destacou o inestimável contributo que a mulher Cabo-verdiana tem dado para a afirmação cultural e para o desenvolvimento político e social da Nação Cabo-verdiana.

Finalmente, aproveitou o momento para agradecer o apoio dos países amigos que acreditaram na candidatura Cabo-verdiana à presidência do BAD. Disse, também que "manifesta a sua compreensão por aqueles que, por razões outras, não julgaram oportuno dar-nos o seu apoio, como fizeram, aliás, noutra oportunidade quando, em 1992, apoiaram a exitosa candidatura de Cabo Verde para o Conselho de Segurança das Nações Unidas".

"Cabo Verde apoia e incentiva toda a política da nossa Organização que tende a estimular a mudança de atitude com relação ao tratamento desigual/marginal que vem sendo ainda atribuído às mulheres do nosso Continente e, por conseguinte, apela a que os seus membros procurem agir em conformidade com as directivas e recomendações adoptadas ao mais alto nível desta nossa Organização” rematou.