12

A Presidência da República acolhe amanhã, Sábado, às 16H00, no Salão Beijing, a apresentação do livro “Manifesto à Crioulização”, de Mário Lúcio Sousa.

Além das intervenções do apresentador da obra, o Professor Doutor Manuel Veiga, e do autor, Dr. Mário Lúcio Sousa, o ato contará com um pronunciamento de Sua Excelência, o Presidente da República, José Maria Neves.

“Manifesto à Crioulização”, de acordo com o próprio autor, faz um apanhado desde o movimento da negritude, passando pela mestiçagem e pela crioulidade, para mostrar que dentro da história da humanidade nasceu, a partir do século XVI, aqui nas ilhas, uma nova cultura, diferente de tudo o que existia antes e que veio a ser “uma grande contribuição dentro da grande história da humanidade”.

Esta cultura síntese, que colocou uma nova perspetiva da identidade dentro da história das identidades no mundo e que foi exportada para todas as regiões, revela Mário Lúcio no “Manifesto à Crioulização”, é um processo dinâmico que ainda não parou, desde que começou em Cabo Verde.

“Esta pequena nação, afinal, tem um ponto na história da humanidade que só a ela pertence – criou uma cultura síntese onde não havia gente”, arremata o autor, que já foi Ministro da Cultura em Cabo Verde