09 | MARÇO | 2018 – Sob o lema “Cultura, pessoas e oceanos”, Sua…

6

09 | MARÇO | 2018 – Sob o lema “Cultura, pessoas e oceanos”, Sua Excelência o Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca presidiu, na manhã de 09 de março de 2018, à primeira reunião de trabalho com o Primeiro-ministro, José Ulisses Correia e Silva, o ministro da Cultura e Indústrias Criativas, Abraão Vicente, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Filipe Tavares e o Coordenador da Organização da Cimeira de Chefes de Estado e de Governo da CPLP, o diplomata Eduardo Jorge, para analisar o ponto da situação da preparação da Cimeira de Chefes de Estado e de Governo da CPLP que terá lugar na ilha do Sal entre os dias 17 e 18 de Julho.

O Presidente da República afirmou que a presidência de Cabo Verde na CPLP “entendeu definir o conteúdo essencial da sua presidência, através de um lema “A cultura, as pessoas, os oceanos”.

Conforme o Chefe de Estado, o lema “vai permitir que se privilegie as intervenções no âmbito da cultura no seu aspecto mais vasto, a afirmação da língua portuguesa, bem como da criação de um mercado comum de produtos culturais e artísticos. Também, esse mercado comum deve abranger a livre circulação de pessoas e bens no âmbito da cultura, escritores e artistas, porque a convicção de Cabo Verde é que “uma verdadeira comunidade implica mobilidade e circulação” para que os cidadãos possam sentir-se membros dessa comunidade, frisou.

O Presidente da República sublinhou, ainda, que quando se fala de pessoas fala-se de “partilha de valores comuns de democracia, liberdade e respeito pelos direitos fundamentais, sendo que a CPLP (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste e Guiné Equatorial) tem como um dos pilares esses valores”.

O chefe de Estado salientou que todos os países são banhados pelo mar e que o mar é uma referência, mas porque os oceanos “são elementos de união”, sem esquecer os programas relacionados com o reforço de segurança marítima, na plataforma continental e em tudo que tem a ver com a economia marítima e do mar.

Terminou dizendo que em termos da preparação logística, do alojamento, da segurança, que são “aspectos importantes”, está tudo a correr “dentro da normalidade”.