Mensagem de S.E. o Presidente da República, Dr. Jorge Carlos de Almeida Fonseca alus…

22
   

 

Mensagem de S.E. o Presidente da República, Dr. Jorge Carlos de Almeida Fonseca, alusiva ao Dia Mundial da Língua Portuguesa – 05 de Maio

Falar da importância de uma língua com mais de 800 anos, em tão pouco tempo, não é tarefa fácil. Nascida do galaico-português, na Idade Média, a língua portuguesa expandiu-se pelo mundo e hoje é falada em oito países, nos quatro continentes, por mais de 250 milhões de pessoas.

É a língua de diferentes povos e diferentes culturas, de uma literatura pujante, reconhecida no mundo inteiro, um mar largo onde cruzamos e expressamos os nossos sentimentos. Se o passado fez dela língua da primeira globalização, hoje, o Português é das línguas mais utilizadas na internet e nas redes sociais, o que lhe dá uma importância global e reforça o seu papel no futuro. Futuro esse que passa, em muito, pela sua expansão fora da Europa, nomeadamente no continente africano e no Brasil. Falo-vos daqui da Cidade da Praia, que alberga a sede do IILP, Instituto Internacional da Língua Portuguesa, organismo importante e cujos esforços para a sua divulgação e expansão devem ser reconhecidos e apoiados, por todos nós. Temos também de lembrar os milhares de professores e leitores do nosso idioma, espalhados pelo mundo, que vêm tendo um papel crucial na divulgação da língua portuguesa, em todos os continentes.

Finalmente, enquanto presidente em exercício da CPLP regozijo-me por este primeiro aniversário do Dia Mundial da Língua Portuguesa, que, como todos sabemos, é o pilar fundamental, a razão de ser da constituição da nossa Comunidade. Ela é o corpo que se alimenta e contém, nos seus vasos, este idioma, através do qual expressamos a nossa forma particular de ver e de estar no mundo, pela voz e a pena de poetas e prosadores como Camões, Machado de Assis, Baltasar Lopes, Eça de Queiroz, Guimarães Rosa, Ruy Duarte de Carvalho, Mia Couto, Arménio Vieira, Sophia de Mello Bryner, Craveirinha, Abdulá Silá, José Tenreiro, Saramago ou Germano Almeida, e pensadores como Mário Pinto de Andrade, Darcy Ribeiro, Amílcar Cabral, Agostinho da Silva, Eduardo Lourenço, entre muitos outros. Lanço daqui um apelo: para que todos façamos deste dia 5 de Maio, no futuro, um dia de múltiplas actividades e acções de promoção e divulgação desta nossa língua.

Que possamos estabelecer uma rede de actividades, em várias cidades, juntando organismos estatais, particulares, escolas, institutos, e projectemos uma verdadeira Festa da Língua, com a participação de professores e escritores. Finalmente, que a língua portuguesa possa ser cada vez mais um instrumento de trabalho, nas organizações internacionais mais importantes, e que os nossos jovens façam dela uma ferramenta essencial para a aquisição de conhecimentos e a sua formação como homens e mulheres, capazes de garantir um mundo melhor, mais livre, mais solidário e mais justo.

Veja o vídeo (minuto 3:23) em:
https://www.youtube.com/watch?v=IOq4buh3YA4

 

 

A imagem pode conter: 1 pessoa, fato