Mensagem do Presidente em exercício da CPLP pelo 24º Aniversário

34

O dia 17 de Julho, aniversário da criação da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) é uma data que simboliza o desejo dos Povos dos nove países que constituem a CPLP de reforçarem ainda mais suas relações de fraternidade e de amizade, a todos os níveis, no relacionamento entre agentes da cultura, professores, investigadores, estudantes, empresários, profissionais liberais, ativistas sociais, autarcas e governantes, na convicção de que a história comum de séculos, com a partilha de vários traços culturais e de uma língua também comum, a Língua Portuguesa, é um importante ativo neste mundo global e altamente competitivo, não só pela visibilidade política que nos confere, mas também porque amplifica as nossas vozes na cena internacional, relativiza as nossas fragilidades e potencia as nossas possibilidades de afirmação e de desenvolvimento económico e social.

Já o disse uma vez e devo repeti-lo nesta ocasião especial: a CPLP não é, não pode ser, uma mera instância de relacionamento formal entre os órgãos políticos dos nossos Estados, mas antes um elemento estratégico da nossa ação enquanto países no mundo, pois que é produto de uma história comum de séculos, com encontros e desencontros, é certo, mas que nem por isso deixam de fazer parte do que fomos influenciando de forma decisiva o que somos hoje e contagiando o futuro que queremos construir.

Estamos todos de corpo e alma na CPLP e só vale a pena estar de corpo e alma. Estamos para encontrar e reforçar os pontos de partilha, alargar o espaço comum e ampliar os espaços de participação conjunta. Hoje o nacionalismo estreito não tem lugar! Países no mundo inteiro juntam-se para criar e gerir instituições administrativas comuns, escolas e centros de investigação comuns, empreendimentos e patrimónios comuns, congregando recursos, colmatando as fraquezas e otimizando as oportunidades.

Nós, os Países da CPLP, temos três vezes mais razões do que muitos outros para estarmos juntos e querer continuar juntos, porque de uma forma ou de outra, assim estivemos, ou melhor, assim temos estado desde há séculos!

Na minha qualidade de Chefe de Estado de Cabo Verde e de Presidente em exercício da CPLP, regozijo-me pelo dia de hoje, pelo que ele significa na caminhada que formalmente iniciámos a 17 de julho de 1996. Sempre se poderá dizer que podíamos ter feito mais e melhor. Pode ser que sim, mas ainda assim estamos orgulhosos do que fizemos e temos feito, mas sobretudo confiante no futuro, no que temos ainda para fazer daqui para frente. Existe hoje uma consciência mais clara e mais forte da importância da nossa comunidade. Por isso registamos um número cada vez mais crescente de países requerendo o estatuto de observador associado e estamos a trabalhar afincadamente em sistemas que possam maximizar as oportunidades que esse alargamento oferece, aprofundando ainda mais as relações de cooperação nesse quadro mais vasto.

Que me seja permitido, na minha qualidade de Presidente em exercício, felicitar pelo dia de hoje os meus colegas Chefes de Estados, e também os Chefes de Governo, dos países membros e agradecer o seu empenho e a sua prestimosa contribuição para o sucesso da nossa Comunidade. Felicitações extensíveis a todos, mulheres e homens que acreditam e têm procurado, de forma direta ou indireta, contribuir para a amizade entre os nossos povos e países, a todos aqueles que se sentem parte de um espaço mais vasto e comum de história, de língua e de afeto.

Aproveito ainda para agradecer ao Secretario Executivo Embaixador Francisco Ribeiro Telles demais funcionários do Secretariado da CPLP, aos funcionários e diplomatas de todas as Missões de Representação junto da CPLP, aos funcionários e diplomatas dos Ministérios dos Negócios Estrangeiros dos nossos países, agradecer pela entrega, pelos esforços despendidos em prol da afirmação da CPLP.
Apraz-me realçar nesta ocasião os progressos registados, especialmente nos últimos anos, no que respeita à promoção da nossa agenda comunitária. A este propósito gostaria de assinalar a grande movimentação das instituições dos nossos Estados e da sociedade civil dos nossos países à volta dos ideais e da agenda da CPLP, o que se tem manifestado na realização de múltiplas reuniões de diferentes sectores institucionais e da sociedade civil dos nossos países. Para a nossa grande satisfação, registamos um grande entusiasmo que o Projeto de Mobilidade tem suscitado junto dos cidadãos, como ferramenta incontornável de aproximação, de intercâmbio e de reforço da cooperação em todos os domínios. Uma ferramenta que aproxima, que une e que nos faz acreditar ainda mais no futuro da nossa comunidade. Uma comunidade de pessoas, aberta, sem muros intransponíveis! Se nos abrimos ao mundo, como uma exigência do tempo novo em que vivemos, mais sentido ainda faz essa abertura entre os nossos nove países. O isolamento não é resposta adequada hoje em dia. Esta pandemia o demonstrou: mesmo quando nos confinamos como medida profilática, intensificamos as relações com os outros para em comum buscarmos as soluções. Problemas comuns requerem esforços comuns para uma resposta global.

Para terminar, queria deixar uma palavra de conforto e de solidariedade aos países membros pela tragédia que sobre todos se abateu com esta pandemia da COVID 19 que infelizmente ainda assola os nossos países, com perda de muitas vidas e dramas sociais intensos, pelo desemprego e acentuada quebra de rendimento das famílias. Uma palavra especial de profundo reconhecimento aos profissionais de saúde dos nossos países, pelos esforços e pelos grandes sacrifícios pessoais e familiares consentidos no combate a esta pandemia. Demonstraram para além de qualquer dúvida o seu profundo comprometimento com a vida, e por isso lhes estamos eternamente gratos!

As medidas anunciadas por todos continuam válidas: distanciamento social e higienização permanente das pessoas e dos locais. E confiamos no futuro. Vamos vencer esta pandemia, como vencemos outras desgraças, com esforço de todos, das autoridades, da sociedade civil e cidadãos em geral.

Longa vida à CPLP

Facebook post