Presidente Neves aponta à cooperação com Angola nas áreas da documentação e arquivo e das políticas públicas

52

 

Na reta final da visita a Angola, o dia de hoje foi dedicado às perspetivas de cooperação em matéria de ensino superior e formação, com o Presidente Neves a visitar o Arquivo Nacional e a recém-criada Escola Nacional de Administração Pública e Políticas Públicas (ENAPP). José Maria Neves salienta a importância dessas áreas para os dois países e a pertinência, assim como já havia ontem sublinhado o seu homólogo, João Lourenço, a pertinência da troca de experiência e conhecimento entre os dois países, nestas e outras áreas de conhecimento, assim como as cooperações económicas e culturais.

Passando primeiro pelo Arquivo histórico, José Maria Neves, realçou, mais uma vez, perante uma plateia bem composta e, sobretudo, por jovens estudantes, os laços históricos de amizade e consanguinidade entre os povos de Angola e Cabo Verde. Através de uma reflexão e uma viagem à história, desde os primórdios do “achamento” das Ilhas de Cabo Verde e ao seu povoamento, e o tráfego negreiro de má memória que leva escravos de várias partes do continente a Cabo Verde, incluindo angolanos, Neves aborda os vários pontos de ligação entre Cabo Verde e Angola.

Neves lembra ainda o tronco comum das lutas armadas para as independências dos dois países, através das lideranças de Agostinho Neto (Angola) e Amílcar Cabral (Cabo Verde/Guiné-Bissau), dois líderes cujos caminhos se cruzaram nos tempos de estudantes na famosa Casa dos Estudantes do Império, em Portugal.

Cabral que era engenheiro agrônomo, chegou a viver e trabalhar em Angola, e Neto (médico) deixou grandes marcas na Praia, em Santo Antão e São Nicolau, onde exerceu por alguns anos, razão que lhe mereceu, o seu nome na placa de identificação do Hospital Central da Praia. Cabral, por sua vez, esteve na fundação do MPLA, recorda o Presidente da República de Cabo Verde.

Aproveitando a presença do Ministro da Cultura, Turismo e Ambiente de Angola, Filipe Zau, Neves realçou as oportunidades de investimentos e de cooperação bilateral, também nessas áreas.

Cooperação em administraçãção e Políticas públicas para a modernização dos dois países

Durante a sua visita à ENAPP, José Maria Neves frisou a importância do projeto daquela escola assente na formação e investigação nas Finanças Públicas, poder local e Políticas Públicas, que considera “pilares importantíssimos no processo de modernização do Estado e da Administração Pública, pelo que “aqui há partilhas importantes que poderão ser feitas entre Cabo Verde e Angola”, reflete.

Assim como Cabo Verde poderá dar um valioso contributo em matéria de desenvolvimento do poder local, tendo já uma experiência de mais de duas décadas na matéria, com Angola ainda a dar os primeiros passos nesse aspeto, também Cabo Verde poderá beber da experiência de Angola, no que tange à organização e centralização e regulação do recrutamento de quadros da administração pública, “garantindo maior rigor, maior transparência e maior equidade no acesso a cargos públicos”. Isso, lembrando que o Centro de Recrutamento para a Administração Pública de Cabo Verde foi extinguido

Pelos avanços em perspetiva no domínio dos transportes áereos e marítimos, no ensino superior e formação, assim como de outras possíveis parcerias económico-empresariais, o presidente Neves considera que esta é uma visita “que me é muito cara e permite-me visualizar caminhos importantes de cooperação entre os dois países”, conclui.

A acompanhar o Chefe de Estado cabo-verdeano nesta missão em Angola estão a Ministra de Estado da Defesa, da Defesa Nacional e Ministra da Coesão Territorial, Janine Lélis, a Secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Myrian Vieira, o Deputado Nacional, Orlando Dias, e o embaixador de cabo Verde em Angola, Jorge Figueiredo.

Agora à tarde, o Presidente Neves tem agendado encontro com a comunidade cabo-verdiana em Angola. O regresso para a Praia está marcado para a manhã de terça-feira, 12 de janeiro.