18 | JANEIRO | 2018 – O Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, acompanhado…

10

18 | JANEIRO | 2018 – O Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, acompanhado do Ministro do Desporto, Fernando Elísio Freire recebeu, na tarde de 18 de Janeiro do corrente, visita de cortesia do Presidente da Confederação Africana de Futebol (CAF), Senhor Ahmed Ahmed. O dirigente da CAF, acompanhado pelo seu Vice-Presidente Constant Omari Seleman e elementos do seu staff, encontra-se em Cabo Verde com o objetivo de conhecer a realidade do futebol Cabo-verdiano e no âmbito da reaproximação de Cabo Verde às instituições da CAF e FIFA (Federação Internacional de Futebol).
O Presidente da República agradeceu a visita, sublinhando que tem acompanhado o percurso da CAF e da nova equipa que agora lidera essa instituição desportiva. Falou da situação arquipelágica, diaspórica e insular de Cabo Verde que tem implicações a nível do desporto nacional, bem como na participação das equipas e da seleção nacional nas competições internacionais. Considerou que Cabo Verde deveria ter um tratamento diferente junto da CAF dada à sua situação insular. Disse que em Cabo Verde existe apenas um estádio que preenche todos os requisitos exigidos para as competições internacionais e que conta com o apoio da CAF e da FIFA na remodelação de outros estádios, nomeadamente, em São Vicente.
O Presidente da CAF, por sua vez, agradeceu a recepção feita pelo Presidente de Cabo Verde e disse que a sua equipa está engajada para, junto com a FIFA e os governos, ajudar no desenvolvimento do desporto em todos os países membros.
Disse que vem a Cabo Verde para conhecer a realidade não só desportiva, bem como económica e política e a melhor forma de contribuir para o desenvolvimento do desporto em Cabo Verde. Disse, também, ter acompanhado os feitos da Seleção de Cabo Verde nas competições africanas. Ressaltou o gosto que teve pelo regresso de Mário Semedo à Federação Cabo-verdiana de Futebol.
Reconhece a situação insular de Cabo Verde e a atenção que se deve ter para com os pequenos estados dada as suas particularidades.
Disse que é preciso que cada país defina bem quais as necessidades que tem para o desenvolvimento do desporto. Finalizou, dizendo que a sua equipa quer fazer transformação e que está determinada no apoio à formação dos jovens e dirigentes desportivos já que o futebol exige muitas dimensões, que, juntas, possam elevar o nível do futebol, particularmente, o futebol africano.