Mensagem de Sua Excelência o Presidente da República, Jorge Carlos de Almeida Fonsec…

21
   

 

Mensagem de Sua Excelência o Presidente da República, Jorge Carlos de Almeida Fonseca, por ocasião do dia de África.

Palácio do Presidente da República, 25 de Maio de 2020

Neste dia 25 de Maio, momento em que celebramos mais um aniversário do dia de África e a luta de libertação do nosso continente, gostaria, muito calorosamente, de saudar todos os nossos irmãos africanos e a liderança da nossa organização continental.

Consciente de que muitas são as tarefas estruturais com que ainda todos nós nos confrontamos, quer na construção das nossas economias, quer no reforço das nossas relações, bem como na criação de condições de vida mais favoráveis das nossas populações, gostaria de aproveitar esta ocasião para desejar a todos os países irmãos renovados votos de sucessos nos esforços de desenvolvimento económico e social consentidos e na criação de condições que permitam uma maior qualidade de vida para todas as nossas populações, num quadro de afirmação das liberdades e da democracia, augurando um clima de estabilidade política e social nos nossos países, tão necessário ao desenvolvimento, à paz e à prosperidade do nosso continente.

Infelizmente, a pandemia do COVID 19, que a todos nos afecta e aflige neste momento, poderá vir a ser um grande obstáculo na consecução desses objectivos. Estou certo, no entanto, que com a nossa determinação, o nosso desejo de construir uma vida melhor para os nossos países e povos, os esforços e a capacidade de os nossos povos vencerem as dificuldades, bem como a solidariedade internacional no combate aos efeitos da pandemia, vamos poder ultrapassar esta fase difícil por que passam os nossos países e o continente. Aproveito para dirigir, em gesto de solidariedade, uma palavra de conforto a todos os países e governos do nosso continente que, de uma maneira ou outra, têm sofrido com esta pandemia com perdas de vida humana.

Saúdo, igualmente, de forma muito calorosa, todos os imigrantes africanos que escolheram Cabo Verde para residir e trabalhar, deixando-lhes uma palavra de reconhecimento e apreço pelo papel reconhecidamente importante que vêm desempenhando no desenvolvimento do nosso país, através da disponibilização da mão-de-obra, da transferência de tecnologia e do enriquecimento cultural dos cabo-verdianos. Somos todos a reconhecer, no dia-a-dia deste país, exemplos de integração e participação efectiva no nosso processo de desenvolvimento – económico, social e ambiental, através da contribuição dos imigrantes na construção das novas centralidades.

Aos milhares de cabo-verdianos que, em Angola e Côte d’Ivoire, na Guiné Bissau e na Guiné Equatorial, em Moçambique, na Nigéria e no Senegal, em São Tomé e Príncipe e em outros cantos deste vasto continente que é o nosso – acolhedor, amigo, surpreendente e enriquecedor – e que no, seu dia-a-dia, engradecem a Nação cabo-verdiana com o seu trabalho e o seu talento, não posso deixar de dirigir uma palavra de especial apreço.
A todos o meu forte e solidário abraço nestes tempos que se mostram muito dificeis, a nível global, devido à pandemia que nos afecta, e a minha palavra de encorajamento para que se mantenham firmes neste combate exigente que exige, de cada pessoa e de cada comunidade, atenção especial às medidas de prevenção, mas também, empenho das autoridades no sentido de mitigar os efeitos devastadores da pandemia na vida de todos e de cada um, particularmente dos mais vulneráveis, a nível económico, social e da saúde.

Enalteço nesta ocasião a memória de todos os líderes africanos que, há muitas décadas, tiveram a louvável iniciativa de instituir a nossa organização africana, promovendo assim a nossa fraternidade e solidariedade na construção de uma sociedade africana unida na defesa dos interesses legítimos do nosso continente.

 

 

A imagem pode conter: 1 pessoa, fato