Toast proferido por Sua Excelência Dr. Jorge Carlos de Almeida Fonseca, Presidente da República…

33

Suas Majestades, Rei Willem-Alexander Claus George Ferdinand e Rainha Máxima dos Países Baixos,
Sua Alteza Real, Princesa Beatrix dos Países Baixos
Senhora Ankie Broekers-Knol, Presidente do Senado,
Senhora Khadija Arib, Presidente da Câmara dos Representantes,
Senhor Mark Rutte, Primeiro Ministro dos Países Baixos,

Excelências,
Distintos convidados,
Constitui para mim motivo de muita satisfação estar aqui neste jantar oficial que Vossa Majestade o Rei e a Rainha Máxima tiveram a gentileza de me brindar, à minha mulher e à delegação que me acompanha neste primeiro dia da minha Visita a este belo e acolhedor País. As simpáticas palavras de boas-vindas que Vossa Majestade acaba de nos dirigir muito nos sensibilizaram. Sem dúvida, traduzem a forte relação de amizade que une os nossos dois povos, como testemunha, de forma muito eloquente, a presença da Holanda numa das mais importantes expressões da cultura cabo-verdiana que é a música.

Sinto-me muito honrado em ter podido responder ao honroso e amável convite da Vossa Majestade para visitar a Holanda.

É com um sentimento de orgulho que recordo que as nossas relações foram forjadas através de uma longa e significativa presença de Cabo-Verdianos e seus descendentes neste país, a partir do qual desempenharam papel relevante na conquista da independência nacional, na democratização e no desenvolvimento de Cabo-Verde.

Registo, com muito apreço, a convergência de pontos de vista sobre diversas questões de grande importância e actualidade e verifico, com muito agrado, a existência de factores favoráveis ao aprofundamento das nossas relações a todos os níveis, o humano, entre holandeses e cabo-verdianos, e o da cooperação entre os dois Estados. A visita que hoje teve inicio constitui mais um passo significativo na consolidação e diversificação das nossas relações políticas, de cooperação e amizade.

Comungamos dos mesmos valores e ideário democráticos de respeito pelas liberdades e garantias individuais, pela pluralidade política, assegurando, ao mesmo tempo, as condições que favoreçam o crescimento económico, o bem-estar das populações, a paz e a tranquilidade sociais.

Partilhamos, igualmente, algumas das preocupações que, neste mundo hodierno dizem respeito a todos os países, como os diferentes tráficos, o crime transacional, o terrorismo e a pirataria marítima. Registo com muita satisfação os esforços e as acções em curso entre as nossas autoridades nesses domínios, com resultados conhecidos e positivos.

Vossas Majestades,
Distintos convidados,

Esta Visita oferece-nos, também, uma excelente oportunidade para o reforço das nossas relações económicas-empresarias, com envolvimento das autoridades, empresários e investidores dos nossos dois países. Uma das áreas que cada vez mais assume importância em Cabo Verde é a marítima, na qual a Holanda tem fortes tradições. Aliás, foi através do mar que as relações entre os países se iniciaram. Estou certo de que Cabo Verde, país com uma vasta área marítima, tem muito a ganhar com a experiência, o saber e a tecnologia de que a Holanda dispõe.
Um outro sector, associado ao marítimo e que com ele representa importante esteio para o nosso desenvolvimento é o turístico.

Cabo Verde nos últimos anos, felizmente, tem registado um crescimento relativamente importante na área do turismo, graças à excelência do seu clima, à qualidade de suas praias, às paisagens diversificadas, à riqueza da sua cultura? e ao ambiente de grande tranquilidade social. As potencialidades do crescimento do turismo são assinaláveis pelo que esperamos contar com a participação de investidores e visitantes holandeses.
Caracterizado por ser um país com escassez de chuvas e ausência de cursos de água permanente, Cabo Verde é confrontado com a necessidade de recorrer ao mar para obter água potável. A Holanda é um dos melhores países do mundo na gestão dos recursos hídricos. A preocupação com a água no país é histórica, assim como são históricas as soluções tecnológicas que o país foi adoptando para lidar com os desafios hídricos. Consciente da importância deste sector para Cabo Verde, estou convicto que só teríamos a ganhar com o “know-how” holandês sobre mecanismos de uso sustentável e eficiente da água.

Vossas Majestades,
Excelências,
Distintos convidados,

As relações entre os países são protagonizadas por pessoas e instituições. Gostaria de aproveitar este momento especial para prestar solene homenagem às autoridades, personalidades e cidadãos holandeses que têm, ao longo da história, mesmo antes da independência, contribuído para o desenvolvimento de Cabo-Verde e para o estreitamento das nossas relações. Na oportunidade, saúdo vivamente os cabo-verdianos que, com o seu trabalho e generosidade, têm contribuído para a o desenvolvimento deste país, e para as fraternais relações entre Cabo Verde e os Países Baixos, este país que também gerou Rembrandt e a «Ronda Nocturna», o filósofo Baruch Espinoza, o poeta e novelista Cees Nooteboom ou o mágico Johannes Cruijff.
Estou convencido de que quando o desejo é mútuo, as expectativas são partilhadas e a dinâmica na acção é garantida pelos dois países, a nossa cooperação e amizade tem muito a ganhar.
Aproveito a ocasião para agradecer a Vossa Majestade, aos governantes deste país amigo e ao Povo holandês o carinho e a solidariedade que têm manifestado para com a comunidade dos cabo-verdianos que vivem e trabalham neste país, dando, assim, o seu contributo ao fortalecimento da amizade entre os nossos Povos.
Eu e a Lígia fazemos um brinde à saúde de Vossas Majestades.
Muito Obrigado!