PR apela à aposta na prevenção de catástrofes

13

 

O Presidente da República encorajou, hoje, a Cruz Vermelha de Cabo Verde a se empenhar numa boa política nacional de prevenção de catástrofes, incluindo a educação das pessoas.

O chefe de Estado, que, por inerência é Presidente de Honra da Cruz Vermelha, fez este apelo ao empossar, nesta quinta-feira, os novos Órgãos Superiores da instituição de caris humanitário com presença no país desde os primeiros dias da independência.

José Maria Neves recorreu ao ditado popular “mais vale prevenir do que remediar” para lembrar que a melhor forma de reduzir o risco é apostando na prevenção.

“Cabo Verde está exposto a condições naturais bastante adversas e a uma variedade de riscos naturais. Porém, muitas vezes temos acreditado muito na sorte e descurado as medidas preventivas. Assim, o que pode parecer uma fatalidade muitas vezes será o resultado da forma displicente como encaramos os riscos”, advertiu o mais alto magistrado da Nação.

O Presidente da República lembrou, a propósito, que a “atitude negligente face a riscos naturais ou resultantes do processo de desenvolvimento pode, com efeito, conduzir a desastres, sofrimentos e perdas de vidas humanas”.

Considerou, ainda, essencial que se continue a promover o voluntariado, particularmente entre os jovens, bem como os valores de humanidade, imparcialidade, neutralidade, independência, unidade e universalidade, muito caros à Cruz Vermelha e às pessoas em situação de maior vulnerabilidade.

Da nova equipa dirigente da Cruz Vermelha de Cabo Verde, liderada pelo tenente-coronel na reforma, Arlindo Soares de Carvalho, o chefe de Estado conta com a sua entrega à causa e deseja sucessos no trabalho de “levar cada vez mais longe e mais alto o nome desta instituição de que todos nos orgulhamos”.