Dom Ildo Fortes apela à solidariedade para ultrapassar dificil situação atual mundial

15

O Bispo da Diocese do Mindelo Dom Ildo Fortes, foi recebido esta quinta-feira pelo Presidente da República, no Palácio do Povo, com os dois intervenientes a abordarem, não só as relações Igreja/Estado, como aproveitaram para juntos refletirem a dificil conjuntura mundial atual “com a situação pandémica e agora a Guerra na Ucrânia, a seca em Cabo Verde” e as suas duras consequências na economia, sobretudo nas famílias mais vulneráveis.  Daí que Dom Ildo apele à solidariedade entre as pessoas, sobretudo, para com os mais pobres.

“Falamos da situação do mundo que não é fácil, a situação da pandemia, esta guerra na Ucrânia, e partilhamos muito as nossas preocupações com a nossa sociedade e com as pessoas, sobretudo, as mais pobres. Esta escalada da subida dos preços dos combustíveis, prevemos tempos mais difíceis e é preciso, então, um discurso que ajude numa mentalidade das pessoas se cuidarem, serem mais cautelosas, de nós suscitarmos a partilha…”.

Nisso, as congregações religiosas têm um papel importante, no caso particular da Igreja Católica, através da Cáritas, daí Dom Ildo sublinhar a presença da diretora daquela instituição que “faz um trabalho magnífico que, com as secas que temos tidos, com a pandemia que já dura há dois anos e meio, e agora com esta desgraça que é a guerra, espera-se ainda mais um papel da Cáritas na ação social neste sentido de ajudar as pessoas em meios articulados”. Dom Ildo apela, assim, à solidariedade entre as pessoas e, sobretudo, para com os mais pobres.

Outros assuntos abordados têm a ver com as relações de Estado entre Cabo Verde e a Igreja Católica e que “assenta antes de mais numa amizade institucional que se quer fazer cada vez mais rica e frutífera”, salienta Dom Ildo.

Nisto, um dos tópicos tem a ver com um tema “que temos vindo a falar com o Governo já há algum tempo na prcura de uma localização para a futura Catedral da Diocese do Mindelo…”, afirmando aquele alto representante da congregação católica cabo-verdiana afirmado a sensibildade do Chefe de Estado cabo-verdiano em relação a este assunto e “pode ser que ele nos ajude com a sua magistratura de influência”, assim espera Dom Ildo Fortes.

A Igreja católica, reflete Dom Ildo Fortes, espera “muito do Presidente” e que “seja sempre um símbolo de unidade nacional, podendo estar um bocadinho livre destas tensões partidárias que acontecem e que as pessoas reconheçam nele este elemento que fomente a coesão nacional, a comunhão que é tão necessário”.