07 | ABRIL | 2018 Com a passagem por Chã de Mato, Companhia, Ribeira…

14

07 | ABRIL | 2018
Com a passagem por Chã de Mato, Companhia, Ribeira Fria, Casa de Meio, Lombo da Figueira, Ribeira da Cruz, Pico da Cruz, o Presidente da República concluiu o seu périplo pelo Município de Porto Novo – Santo Antão.

Em Companhia, o Presidente auscultou a população que reclamava da falta de chuvas que afecta todos os criadores. A falta de ração também constitui um problema que, segundo o edil da Ribeira Grande, “será rapidamente solucionado já que há um “djunta mon” entre as três câmaras Municipais para trazer ração para toda a ilha”. O Preço da água elevado também preocupa os moradores, aguardando a instalação do parque de energias renováveis para minimização dos custos.
Ouviu atentamente a leitura de uma carta por um morador que quis que ficassem registadas todas as preocupações dos moradores (vide imagem).

Num frente-a-frente com a população de Lagoa, o Presidente da República falou do actual estado da Democracia em Cabo Verde que, segundo os últimos dados, encontra-se na 23ª posição do ranking. A população reagiu com satisfação relativamente a esta posição de Cabo Verde no ranking da Democracia e aproveitou para informar ao Presidente da República dos esforços individuais, neste período de seca, que toda a população tem feito, “sem esperar pelas autoridades que, por sinal, têm estado sempre presente”, sublinhou uma moradora.
O Presidente da República fez um balanço relativamente positivo do programa de mitigação do mau ano agrícola, verificou que há uma grande colaboração das pessoas em criar condições para o melhoramento da situação.
Ao cair da noite, em Água das Caldeiras, o Presidente da República visitou uma associação comunitária e o centro de transformação de produtos agro-alimentares.

Em Pico da Cruz, já durante a noite, o Presidente da República falou com os trabalhadores da floresta que reclamaram dos problemas salariais e da contratação laboral por que passam desde o ano de 2012. Solicitaram apoio do Presidente para terem energia eléctrica durante 24 horas em vez das 3 horas/dia que agora dispõem. Pediram apoio do Presidente para a reabilitação da sentina municipal já que é uma localidade turística.