Presidência da República debate “Declaração Universal dos Direitos Humanos, 75 anos depois”

30

A Sala Beijing do Palácio do Presidente da República acolheu, esta tarde, mais um momento alto e pleno de reflexão e debate, desta feita a propósito da “Declaração Universal dos Direitos Humanos, 75 anos depois”. Na presença do Chefe de Estado, José Maria Neves, e perante uma rica plateia sensível à causa no país, o conferencista, Embaixador Jorge Tolentino, traçou um quadro profundo e apresentou as suas inquietações em relação aos Direitos Humanos no mundo, com incidência sobre a situação nacional e o contexto regional e no continente africano no seu todo.

Jorge Tolentino entende que à escala Global a causa dos Direitos Humanos está muito longe de alcançar o ponto de irreversibilidade, perante os cenários de barbárie impostos pelas guerras e sofrimentos derivados de fenómenos como a pobreza extrema e a fome.

Na mesma linha alerta que “em Cabo Verde os Direitos Humanos ainda não são para todos”, pelo que a causa deve ser, permanentemente, renovada em cada um de nós. Muitos foram os que se associaram à iniciativa, entre eles o Corpo Diplomático e representantes de organismos internacionais sedeados em Cabo Verde, Organizações Não Governamentais e associações ligadas aos Direitos Humanos, deputados nacionais, sindicatos, academia, autoridades para a imigração, para a proteção de dados, entidades religiosas, plataformas e federações associativas e a sociedade civil no geral.

Com esta conferência, a Presidência da República encerrou o programa que, em parceria com o Sistema das Nações Unidas em Cabo Verde, levou a cabo por ocasião dos 16 Dias de Ativismo pela Eliminação da Violência Contra Mulheres e Meninas e o Dia Internacional dos Direitos Humanos, assinalado a 10 deste mês.