Partidos políticos engajados no combate ao COVId-19

18

O Presidente da República, reuniu-se, esta sexta-feira, com os partidos políticos com assento parlamentar, por essa ordem, MpD, PAICV e UCID (este último via zoom), enquadrado nos cumprimentos de ano novo ao Chefe de Estado. As conversações centraram-se, como se era de esperar, na situação pandémica e as suas consequências económicas e sociais, para além, claro do impacto sanitário. Um ponto convergente entre os partidos tem a ver com a necessidade de maior colaboração e engajamento das cabo-verdianas e dos cabo-verdianos nesta luta que é de todos.    

A começar pela delegação do MpD, partido que sustenta o Governo, que, pela voz da sua secretária-geral que salientou a mensagem de confiança no futuro, “esperando dias melhores”, e na colaboração e engajamento da população, no sentido da sua adesão em massa à campanha de vacinação e no cumprimento das regras para a prevenção da doença.

Delgado sublinha a atenção especial à região Santiago Norte onde as taxas de vacinação continuam muito baixas em relação ao todo nacional, e igualmente uma atenção especial aos adolescentes e jovens, “a ver se aumentamos a percentagem dos vacinados em alguns municípios”, observa Delgado. O momento, enfatiza, é de “Djunta mon” para fazer face a esta pandemia.

A Secretária-geral do MpD reforça a sua “confiança” na retoma da economia em 2022 e que “dias melhores virão”, com o contributo de todos, incluindo a sociedade civil, as confissões religiosas e ONG´s.

Logo a seguir, foi a vez do PAICV que, através do seu presidente, Rui Semedo, que manifestou a abertura e disponibilidade para colaborar e contribuir para a construção dos entendimentos nacionais que sirvam os interesses do país e tragam benefícios para todos os cabo-verdianos. 

Porém, considera Semedo, a atenção do Governo deverá incidir-se, também, nos impactos sociais, a par das medidas sanitárias, devendo-se acautelar soluções para a proteção, sobretudo das famílias mais vulneráveis. Isso, porque considera o PAICV, têm faltado respostas para fazer face aos impactos económicos e sociais à crise. Acrescenta-se ainda a seca, há que minimizar o sufoco das famílias”.

A questão da transparência “na gestão da coisa pública, é outra preocupação do PAICV levada ao Presidente Neves, com Rui Semedo a reclamar maior partilha de informações relativas “à gestão da coisa pública”, particularmente nestes tempos difíceis em que os recursos são ainda “mais escassos”.

Por fim, o Presidente da República pôde auscultar, também, o Presidente da UCID, António Monteiro, via ZOOM, que partilhou dessa preocupação face ao desenvolvimento do quadro pandémico e da necessidade de um amplo consenso sobre as soluções e engajamento nesta luta.

Monteiro salienta a disponibilidade e abertura do Chefe de Estado ao diálogo alargado com todos os partidos políticos, com o líder da UCID a realçar ser “a primeira vez” que a UCID tem é chamada para o cumprimento de novo ano ao Presidente da República.

Monteiro realça ainda o fato de, “pela primeira vez, o seu partido ser solicitado para integrar uma missão do Presidente da república, a referir-se à deslocação oficial do Chefe de Estado a Angola do dia 9 a 12 de janeiro próximo.