PR assinala Dia Internacional da Educação

15

Mensagem de Sua Excia., o Presidente da República, a assinalar a efeméride 

Dia Internacional da Educação

Celebra-se hoje, 24 de Janeiro, o Dia da Educação, data institucionalizada pelas Nações Unidas para realçar o papel da Educação para a paz e o desenvolvimento dos países e nações e que este ano se celebra sob o lema “Changing Course, Transforming Education- Mudar de rumo, transformar a educação”.

Segundo Nelson Mandela, “a educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo”. Só através dela poderemos almejar uma sociedade mais honesta, conhecedora de seus direitos e deveres, mais consciente com a preservação do meio ambiente e defensora dos seus direitos e deveres democráticos.

Felizmente, os cabo-verdianos desde sempre se preocuparam com a educação como um meio de ascensão social. E, Cabo Verde tem feito um bom percurso sendo inegável de que, desde a hora zero da República, os nossos governantes e líderes perceberam a sua importância para a construção do país. Isso, inspirados no ideal de Amílcar Cabral de que a educação é a “principal arma para a libertação” e para a “transformação do homem novo”.

Entretanto, a Pandemia da COVID-19 veio exacerbar uma crise global no acesso à educação. Segundo o Dr. António Guterres, Secretário-Geral das Nações Unidas, cerca de 1,6 bilhão de estudantes tiveram as aulas interrompidas em consequência da Pandemia.  E, como sublinha a ONU, a crise não acabou e continua a condicionar o acesso às escolas de mais de 31 milhões de alunos.

Em Cabo Verde, graças à mobilização geral do Estado, envolvendo Governo, as famílias, as escolas e sociedade, tem sido possível mitigar as consequências deste flagelo. Numa primeira fase através das aulas online, um exemplo claro da transformação da educação como é exigência dos novos tempos. Nesta segunda fase, as aulas decorrem de forma presencial, não obstante os condicionalismos, que ainda persistem, com o surgimento recente da variante Omicron da COVID-19.

Dada estas contingências, permitam-nos reforçar o apelo aos pais, encarregados de educação, alunos e, também, aos professores para que adiram às campanhas de vacinação e façam a sua parte, cumprindo, também, as regras sanitárias, para que que não se comprometa o futuro das nossas crianças e jovens, com novas medidas de encerramentos das nossas escolas.

No que toca ao Governo e ao Estado, é preciso continuar a apostar na criação das condições necessárias para o acesso universal à educação, sabendo tratar-se, como sugeriu o Dr. António Guterres, de um “bem público proeminente” e condição para se ultrapassar essa e outras crises futuras.

Não há transformação sem educação e não existe cidadania sem educação e informação. Temos dito, a democracia só será plena numa sociedade mais justa, mais igualitária e equitativa, e tal só será cumprida com uma educação inclusiva e que, de facto promova igualdade de oportunidade para todos, a começar pelo acesso ao conhecimento.

Nisso, permitam-nos sublinhar a nossa mais elevada estima aos professores. Continuem a exercer com paixão, sempre, a profissão, e com a certeza de que o vosso empenho e zelo no exercício das vossas funções é a chave do sucesso de Cabo Verde e que tem permitido fazer deste país ora considerado inviável, um exemplo cada vez mais consolidado de desenvolvimento inclusivo e de democracia.