É o momento de sermos os verdadeiros guardiões desta casa comum — O Planeta Terra.

8

Assinala-se, hoje, 5 de junho, o Dia Mundial do Ambiente. A data foi escolhida há 50 anos, na Conferência de Estocolmo (Suécia), e marca o início deste que foi o primeiro evento organizado pelas Nações Unidas para discutir questões ambientais a nível global (1972-1922).

Este ano, as reflexões acontecem sob o lema “Uma Só Terra”, e têm o foco na promoção de uma vida sustentável, em harmonia com a natureza.

À luz do lema deste ano, espera-se que as políticas públicas, as boas práticas do setor privado e da sociedade civil organizada, bem como as escolhas individuais do nosso estilo de vida possam provocar transformações positivas, capazes de permitir uma convivência saudável e harmoniosa com o planeta Terra (nossa casa comum), como mencionara o Papa Francisco na sua CARTA ENCÍCLICA, LAUDATO SI’ sobre os cuidados que devemos ter para com ela.

O Secretário Geral das Nações Unidas, na sua mensagem este ano, por ocasião desta efeméride, chama a atenção para uma tripla crise planetária que assistimos (1.Distúrbio climático; 2. Perdas da natureza e da biodiversidade e 3. Poluição e desperdício), afetando a sobrevivência de milhões de pessoas em todo o mundo e, mostra a urgência de serem desencadeadas ações para evitar uma catástrofe.  Entre as grandes medidas destaca: acelerar o fim do nosso vício em combustíveis fósseis; acelerar a introdução de energia limpa e renovável e, em simultâneo, investir rapidamente em adaptação e resiliência, especialmente os mais pobres e vulneráveis, que menos contribuem para esta crise.

Cabo Verde é particularmente vulnerável às alterações climáticas pela sua condição de insularidade, pela fragilidade económica e, ainda, pela sua localização na zona do Sahel, onde os impactos deste problema ambiental é maior, segundo vários estudos. 

Portanto, esta é a hora de agir. É o momento de sermos os verdadeiros guardiões desta casa comum. Esta contribuição está ao alcance de cada um de nós. Pequenas mudanças no estilo de vida, em casa, no trabalho ou mesmo nas nossas atitudes perante o consumo podem ter grande impacto a nível global.

O Presidente da República exorta aos poderes públicos, sociedade civil organizada, setor privado e os cidadãos individualmente a serem proativos na proteção do planeta terra.

Associe-se a essa Luta!