PR faz comunicação ao País: Cabo Verde não pode dar-se ao luxo da experimentação como método de gestão do interesse público

800

 

O espectro político atual tem sido caracterizado pela crispação e pelo desprezo pela cooperação institucional, pelo diálogo e pela conciliação, considerou, hoje, o Presidente da República numa Comunicação à Nação, em que percorreu os diversos aspetos da Política Nacional, alertando que “Cabo Verde não pode dar-se ao luxo da experimentação como método de gestão do interesse público”.

O Chefe de Estado considera, por outro lado, que “assistimos a uma disputa política permanente que sufoca a sociedade. Este ambiente é permeável ao clientelismo e ao medo, com as pessoas a serem escolhidas para cargos públicos e promovidas, menos pelo mérito e mais pelas suas relações de amizade ou pela sua lealdade a partidos”.

Atento às questões que neste momento afligem, particularmente, os cidadãos em todos os cantos do país e na diáspora, o mais alto magistrado da Nação evidencia que “na prestação de alguns serviços contratualizados, a qualidade tem sido dececionante, com reclamações generalizadas pela aparente falta de competência na garantia de serviços finais aos cidadãos, que chega tarde ou não chega, originando reações e alertas, da sociedade às mais altas autoridades políticas e religiosas”.

Neste difícil contexto “Não podemos, todavia, resignarmos perante os desafios. Temos de fazer diferente e melhor, muito melhor, o que estamos a fazer”, diz o Presidente, para quem, “legitimamente, a Nação inquieta-se e indigna-se com o inegável retrocesso em setores vitais ao nosso Estado-arquipélago”.

O Presidente da República verifica com preocupação, que são tomadas decisões cujo propósito e cuja lógica não se entende, “principalmente quando tudo levava a crer que medidas iam ser tomadas – e elas até já haviam sido anunciadas –, mas eis que as instituições públicas recuam e se apequenam”.

Realça José Maria Neves, “Essas mesmas decisões, que são tomadas num dia para se recuar no dia seguinte, sinalizam que as mesmas não foram suficientemente amadurecidas. Não podemos, de ânimo leve, assistir a discursos contraditórios e descoordenações a nível da formulação de políticas, revelando falta de maturação das medidas com vista à sua implementação”.

Cabo Verde não pode dar-se ao luxo da experimentação como método de gestão do interesse público”, alerta o Mais Alto Magistrado da Nação”, certo de que “temos de fazer uma profunda análise da atual situação, arrepiar caminho e encetar mudanças radicais, trabalhando com mais sentido de Estado e mais sentido de compromisso com o país vulnerável que somos”.

Veja a comunicação e o momento das perguntas e respostas aos jornalistas, aqui:

Leia, na íntegra, a comunicação do Chefe de Estado.

Comunicação do Presidente da República, Sua Excia. José Maria Neves, à Nação sobre a situação política nacional