PR: Esta comunidade é um pouco um Porto Seguro dos cabo-verdianos na Europa

109

O Presidente da República, José Maria Neves sublinhou, em encontro com a Comunidade em Roterdão este sábado, a importância da nossa grande Diáspora na construção do país e, em particular, o compromisso da comunidade nos Países Baixos com o desenvolvimento das Ilhas. A Comunidade em Roterdão e nos Países Baixos em geral tem sido “um pouco um Porto Seguro dos cabo-verdianos na Europa”, destaca o Chefe de Estado.

O World Trade Center, no centro de Roterdão, esteve completamente lotado com cabo-verdianos que chegavam de Roterdão, mas também de várias Cidades nos Países Baixos e alguns países limítrofes que puderam ouvir uma mensagem positiva e mobilizadora de toda diáspora em torno dos grandes desafios do país.

Falando, particularmente da Comunidade nos Países baixos, o Presidente Neves lembrou ser uma “das Comunidades mais antigas e sempre esteve comprometida, de várias formas, com a construção do país e da sua democracia”, tendo sido, inclusive, o berço da UCID, hoje um dos partidos com acento parlamentar no país.

Em linhas gerais, o Chefe de Estado apelou à valorização das gerações mais antigas, mas também do vigor e da força  das novas gerações, lembrando que a diáspora  cabo-verdiana é dos principais recursos do país e o tem socorrido nos momentos mais difíceis, sendo, por isso, um motivo de orgulho

A Diáspora, diz, “com as suas remessas financeiras, constitui um dos maiores pilares de construção da economia cabo-verdiana”, sendo também forte as suas intervenções em Cabo Verde na educação dos filhos, no acesso à saúde, no acolhimento das novas gerações de emigrantes, na remessa de práticas avançadas e exigências de melhor prestação de serviços ao nível do país de acolhimento.

O Presidente da República renova desta forma o seu apelo à comunidade no sentido de reforçar a aposta em remessas de conhecimento e colocar todas as suas capacidades ao serviço país, enquanto professores, investigadores, médicos especialistas, agentes culturais e em outras áreas do saber e de atividades. E acrescenta que a força da Diáspora, que é parte integrante de Cabo Verde e nunca apenas um número que conta para o PIB, também é sentida na influência que ela  exerce sobre a língua cabo-verdiana.

Confira, na íntegra, a comunicação do Presidente da República no encontro com a Comunidade em Roterdão, aqui: