PR defende inclusão dos ilhéus na administração do território nacional

11

Assim como já o fizera aquando da sua deslocação aos ilhéus Rombo e no segundo episódio do podcast O Ouvidor, o Presidente da República, José Maria Neves, voltou a frisar a importância da preservação dos nossos ilhéus, com o Chefe de Estado a defender a necessidade de o Governo considerar a administração dos mesmos na nova divisão administrativa do país, enquanto parte efetiva do território nacional.

José Maria Neves fez estas considerações no ato de inauguração, esta quarta-feira, da nova embarcação da associação ambiental Projeto Vitó, no porto do Vale dos Cavaleiros na ilha do Fogo, lembrando que esses ilhéus são parte efetiva do território nacional e sublinhando a importância da preservação desses ilhéus e todo o ecossistema que comportam, incluindo várias espécies endémicas.

Assim, o PR Neves reflete ser fundamental pensar e definir as responsabilidades da administração desses ilhéus, “a que ilha pertencem e quem deve responsabilizar-se pela sua administração.

Quanto ao Vénus, a nova embarcação do Projeto Vitó, é mais um grande momento que mostra o trabalho que a associação tem feito em torno da preservação ambiental e natural no Fogo, no Maio e em outras regiões do território nacional, incluindo os ilhéus e mais uma prova da força da sociedade civil e de cidadania ativa.

“Quando uma ONG faz trabalho desta natureza, mobiliza parcerias e traz um barco para a Região Fogo/Brava e que pode ajudar na preservação ambiental, mas em outras questões que são importantes para a região como a transferência de doentes e socorros é extremamente importante”, destacou José Maria Neves.

Nisso, o Mais Alto Magistrado da Nação volta a defender a necessidade de transferência de mais responsabilidades à sociedade civil e aos municípios, privilegiando um modelo de cogestão ou autogestão das áreas protegidas do país.

Confira, na íntegra, aqui, as reflexões do PR na inauguração da embarcação de 11 metros que vai apoiar o Projeto Vitó no seu trabalho de vigília e conservação das espécies nos Ilhéus Rombo, e não só.