Desenvolvimento não é uma dádiva, mas sim uma conquista

25

A África tem de procurar, de uma forma mais ousada, as soluções para o futuro, e não ficar à espera da solidariedade internacional, sendo certo que o desenvolvimento não é uma dádiva, mas sim uma conquista. O Presidente da República lançou este repto ao proferir, na manhã desta quinta-feira, a Comunicação Inaugural, online, da Conferência Regional sobre Juventude, Paz e Desenvolvimento, promovida pela Coligação da Juventude dos Países de Língua Portuguesa, CJP, em Guiné Bissau.

Discorrer sobre o tema “Juventude dos PALOP face aos desafios comunitários, regionais e mundiais” foi uma oportunidade para o Chefe de Estado se debruçar sobre importantes temas da atualidade, como as instabilidades políticas e institucionais derivadas de guerras e golpes de Estado em África, os conflitos no leste que enceram riscos e estão a provocar profundas mudanças na ordem mundial, as desigualdades entre países ricos, industrializados e desenvolvidos do norte e os países pobres, fornecedores de matérias-primas e subdesenvolvidos do sul, e a ascensão do Sul, com novos países emergentes, os BRICS.

José Maria Neves alertou, ainda, para o fenómeno das migrações desesperadas pelo Atlântico e por zonas de conflitos no Leste, resultando em problemas humanitários que envergonham o mundo e as mudanças climáticas, com as suas manifestações cada vez mais extremas, entre outros temas da atualidade.

O Presidente da República considera importante acompanhar atentamente todos os desdobramentos dessas problemáticas e aponta a juventude africana como o grande trunfo do continente para virar o jogo e alcançar a transformação que urge. Para começar, defendeu aposta forte na educação e capacitação dos jovens, na ciência e na inovação.

O Chefe de Estado felicita a CJP pela iniciativa e encoraja os jovens africanos a promoverem mais jornadas do género, pois permitem traçar novos percursos, abrir novas avenidas e encontrar os melhores caminhos para a construção de uma nova África, 60 anos após a independência.“Os jovens devem ter causas e propósitos, ser patriotas e procurar os conhecimentos para sonhar e construir uma nova África”, desafiou o Presidente da República que quer mais oportunidades para a juventude africana no próprio continente.

Assista a este grande momento de diálogo e reflexão, aqui: