Nota de Imprensa – Pandemia do Covid-19. Palácio do Presidente da República

106

 
 

 

Nota de Imprensa – Pandemia do Covid-19.
Palácio do Presidente da República, 25 de Março de 2020

Cabo Verde e o mundo têm sido, nos últimos meses, confrontados com uma situação sem precedentes de uma pandemia que tem afetado todas as sociedades, ameaçando a vida e a saúde de grande parte dos cidadãos.

O Covid-19, propaga-se com muita facilidade e a sua prevenção exige medidas de higiene individual e coletiva que têm sido seguidas em Cabo Verde, sob a orientação das autoridades sanitárias que, juntamente com a população, tudo têm feito para evitar que os casos diagnosticados se disseminem. Esta realidade, que também, abrange os cabo-verdianos que residem no exterior, muitas vezes, em condições particularmente difíceis em alguns países, tem tido consequências muito importantes na vida das pessoas, com repercussões sérias, no seu dia-a-dia, tanto em casa como nos locais de trabalho.

As rotinas, os hábitos, as formas de trabalhar estão sendo seriamente afectadas, com repercussões na economia, no funcionamento das empresas, no emprego e no rendimento dos cidadãos e das famílias. De facto, os desafios abrangem a prevenção da doença e a limitação dos inevitáveis danos à economia e suas consequências sociais e familiares, que só podem ser enfrentados com determinação e de forma colectiva.

Atento à complexidade desse quadro, com a mesma determinação com que, desde a primeira hora, o Governo tem encarado a vertente sanitária da crise, decidiu enfrentar a importante questão económica e social. Assim, preparou e convocou os parceiros sociais, para no, quadro do Conselho e Concertação Social, se debruçasse sobre as consequências da pandemia na nossa economia e na nossa sociedade.

Partindo da verificação da globalidade da crise e de suas repercussões negativas no país, cuja economia é ainda muito dependente do exterior, nomeadamente através do turismo, o Governo submeteu aos parceiros socias uma série de medidas que visam reduzir os impactos da crise na economia e sobretudo proteger o emprego.

Foi com grande satisfação que registei que, após debate, medidas que visam limitar os efeitos da crise na economia foram, consensualmente, aprovadas e que outras, dirigidas, nomeadamente, às famílias e à economia informal serão a breve trecho apresentadas.

Felicito vivamente as entidades sindicais, os representantes do empresariado e o Governo pela grande responsabilidade demonstrada e, sobretudo, pelo facto de assumirem que, na realidade, os grandes desafios só podem ser enfrentados e vencidos quando os interesses superiores da Nação e das pessoas são colocados em primeiro plano.

Estimulo todos os cabo-verdianos, no país e na diáspora, a cerrar fileiras nesta hora difícil, mas que, seguramente, com determinação e responsabilidade, será ultrapassada.

Jorge Carlos Fonseca