As Forças Armadas ensinam-nos a ser cidadãos de corpo inteiro

24

“Temos de resgatar os valores republicanos do amor à pátria, do orgulho nacional, da disponibilidade para servir, da disciplina, do rigor e do trabalho, valores todos os dias adubados nas fileiras das nossas Forças Armadas, que servem o país com abnegação, generosidade e altruísmo”. O Presidente lançou este repto ao país ao presidir, hoje, no Sal, o ato central de comemoração do 57º aniversário das Forças Armadas, que todos os dias “ensinam-nos a ser cidadãos de corpo inteiro”.

O Chefe de Estado realça que este compromisso de fidelidade perante a Bandeira Nacional da instituição castrense o inspira, enquanto Comandante Supremo das Forças Armadas, que têm sido “uma escola de valores e virtudes caros nos dias de hoje, estando sempre presente nos momentos mais desafiantes para o país”.

José Maria Neves apresentou a segurança como um fator de competitividade no país e um elemento vital de credibilidade interna e externa, defendendo, por isso, a aceleração das reformas, para uma adequação aos desafios de um Estado Oceânico com enormes possibilidades de crescimento ligadas ao mar. Na mesma linha, diz, urge um reforço dos investimentos na Guarda Costeira, bem assim a recuperação dos meios navais que se encontram inoperacionais, como o navio Guardião.

E, perante o contexto internacional, em que se assiste à fragilização das instituições democráticas, pondo em perigo grandes conquistas da humanidade em termos de liberdades civis e políticas, dos direitos económicos e sociais e do crescimento inclusivo e ambientalmente sustentáveis, José Maria Neves reforça a tese de que Cabo Verde deve ser um fator de paz, um ator útil na busca de soluções negociadas para os conflitos e um defensor do direito internacional, do multilateralismo e da cooperação para o desenvolvimento.

Durante o ato, o Mais Alto Magistrado da Nação recordou os momentos trágicos vivenciados pela instituição castrense durante o ano findo, designadamente o acidente que vitimou oito militares na localidade de Serra Malagueta e a morte de um recruta, na sequência de uma marcha administrativa. São acontecimentos que devem provocar mudanças nos processos e procedimentos, visando a modernização e adequação do Serviço Militar às demandas e exigências dos novos tempos, instou o Chefe de Estado.

Leia o discurso, na íntegra, aqui:

Discurso de Sua Excelência, o Presidente da República, José Maria Neves, por ocasião do Ato Solene em celebração do Dia das Forças Armadas