Agentes culturais propõem que Presidência da República seja um espaço privilegiado de arte e cultura

48

O Presidente da República recebeu hoje, em audiência, agentes culturais e artistas de teatro, música e das artes plásticas que vieram propor parcerias ao mais alto nível para a promoção da arte e cultura nacionais.

Os agentes culturais pretendem que os espaços da Presidência sejam um local privilegiado de divulgação e acesso democratizado à arte e cultura e que o Presidente seja o principal promotor cultural do país.

Tanto assim é que os artistas plásticos lançaram o desafio de o Presidente José Maria Neves criar um museu da Presidência da República que funcione, ao mesmo tempo, como espaço permanente de exposição de arte. A ideia foi apresentada pelos artistas plásticos Leontina Barreto, Tutu Sousa e Domingos Luísa, recebidos hoje em audiência.

Eles acreditam que José Maria Neves poderá ser fundamental para a valorização da arte nacional, exercendo influência diplomática que resultará em mais incentivos, intercâmbios e internacionalização, além de mais reconhecimento e espaços nobres para as suas obras.

O Grupo de Teatro Fladu Fla almeja contribuir para a valorização e divulgação da língua cabo-verdiana e encenar seis clássicos da literatura nacional, com os olhos postos na diáspora.

O Grupo já encenou Chiquinho, de Baltazar Lopes da Silva. A próxima obra será Contra Mar e Vento (Teixeira de Sousa), prevista para estrear ainda este ano, de acordo com Sabino Baessa, presidente do Fladu Fla. O objetivo é conseguir o envolvimento da Presidência da República nesta divulgação da língua e da literatura nacionais e na sexta edição do Festival de Teatro do Atlântico, prevista para outubro próximo.

O mesmo tipo de envolvimento é sugerido por Bob Mascarenhas, que organiza a primeira edição do Festival Internacional de Batuco, a 31 de julho, para marcar do dia nacional dedicado a este género musical.

Além disso, Mascarenhas veio apresentar o projeto de fundação que pretende dar suporte às mulheres que fazem batuco. As áreas as serem contempladas são saúde, construção de habitação, apoio social e outros.

O Presidente da República garantiu a todos o máximo envolvimento na mobilização de recursos e parceiros, nacionais e internacionais, para a materialização dos projetos em carteira.

José Maria Neves defende que o Estado deve ser promotor de arte, adquirindo peças para edifícios públicos e para servirem de presentes oficiais.

Além disso, o Chefe de Estado tem como princípio convidar artistas, escritores e agentes culturais para fazerem parte das delegações presidenciais em visita a países estrangeiros e facilitar a divulgação das suas criações.

Na sua ultima deslocação a Angola, a bailarina Bety Fernandes do grupo de dança Raiz de Polon, integrou, a convite do Presidente, a comitiva presidencial.

Ainda, por ocasião do Dia dos Heróis Nacionais, e a contar para as comemorações da Semana República, a Presidência da República homenageou o grupo de dança Raíz di Polon, “por representar a ousadia e a ambição de Cabo Verde”.