Presidente da República felicita Guarda Costeira por ocasião do seu 30º aniversário

24

Por ocasião do 30º aniversário da Guarda Costeira, que se assinala neste 11 de outubro, Sua Excelência o Presidente da República, na qualidade de Chefe de Estado e Comandante Supremo das Forças Armadas, parabeniza e enaltece o meritório trabalho desenvolvido pelos homens e mulheres do mar que, “com abnegação e espírito de sacrifício, servem os propósitos de desenvolvimento do país, neste quesito que é fundamental para consolidação da autoridade do Estado no mar”.

O Chefe de Estado considera a data comemorativa “um momento de jubilo, mas também de reflexão sobre o caminho percorrido e os desafios que ainda persistem, designadamente, o reforço e a valorização dos recursos humanos, bem como a operacionalização dos meios navais e aéreos”.

José Maria Neves lembra que a segurança é um bem inalienável e fundamental para qualquer Estado de Direito Democrático, mormente, para Cabo Verde, um pequeno Estado insular em desenvolvimento, cujo modelo de desenvolvimento está assentado na prestação de serviços.

“Para um Estado oceânico como Cabo Verde, no qual mais de 99% do seu território tem o selo marítimo, aliado às pretensões, legítimas, de extensão da sua plataforma continental para além das 200 milhas náuticas, impõe-se a edificação de instituições de segurança capazes de dar respostas adequadas aos desafios atuais e emergentes”, lê-se na missiva endereçada ao Estado-Maior das Forças Armadas.

Neste particular, o Mais Alto Magistrado da Nação regozija-se com o anúncio, pelo Governo, da aquisição de uma aeronave que, para além da capacidade para patrulhamento aéreo, terá, igualmente, capacidade para evacuações médicas urgentes e a realização de outras missões de interesse do Estado. Por outro lado, adverte o Presidente da República, “é preciso valorizar a manutenção e a reparação dos equipamentos navais, envidando todos os esforços que se mostrarem necessários para tornar operacionais os parcos meios navais de que dispomos, principalmente no caso do único meio naval com capacidade para operar em toda a extensão da nossa ZEE e nas Seacrh and Rescue Region, no âmbito dos acordos internacionais”.

Por outro lado, entende o Chefe de Estado, “urge implementar o Plano Estratégico de Desenvolvimento da Guarda Costeira, um instrumento de programação consensual no seio da corporação, que aponta os caminhos a seguir, no horizonte 2017-2027, numa lógica de edificação de capacidades e de olhos postos no desenvolvimento do país e da consolidação da economia azul, como fator de competitividade”.

Neste momento de celebração, José Maria Neves aproveitou para augurar à Guarda Costeira bons ventos e boas marés para os desafios futuros, ao mesmo tempo que encoraja os homens e as mulheres que servem nesta grande instituição, a continuarem a cumprir Cabo Verde, com altruísmo e sentido de Estado, que lhes é caraterístico.