PR enfatiza educação para a cidadania na promoção da inclusão social e na defesa das democracias e liberdades

31

O Presidente a República, José Maria Neves, considera urgente um programa de Educação para a Cidadania para a promoção de uma sociedade mais justa e inclusiva. Particularmente no que toca à sensibilização e ao respeito pelos direitos das pessoas com deficiência, o Chefe do Estado apelou esta manhã ao engajamento da sociedade como um todo.

José Maria Neves chama a atenção para sinais preocupantes de atitudes menos positivas, não só para com as pessoas com deficiência, mas igualmente no que tange à inclusão e defesa dos direitos das pessoas em geral, sendo este um dado que indica um “deficit de amor e concórdia” no seio da sociedade.

São sinais que se vêem nos discursos inflamados no campo político, no que o Presidente da República considera de “política de terra queimada”, mas também no seio da sociedade em geral, com os níveis de violência registados, e que contribuem para a desunião e para uma sociedade menos inclusiva.

“Trata-se de uma atitude destrutiva, já que só se pensa na destruição e na eliminação do outro. Da mesma maneira, a violência nas ruas e a forma como as pessoas falam e discutem, com inurbanidade, são sintomas preocupantes da necessidade de mudança de comportamento”, reflete o Presidente da República.

Tais sinais levam o Chefe de Estado a concluir ser “urgente” a promoção de um Programa de Educação para a Cidadania, nas escolas e não só. Inclusive para a sensibilização para a problemática das pessoas com deficiência.

José Maria Neves exemplifica com o estigma que ainda recai sobre as pessoas com deficiências mentais e a forma como são tratadas nas nossas urbes, muitas vezes agravando a sua condição, constituindo, também, uma forma de violência contra essas pessoas. Tratar-se de um caso de direitos humanos, salienta.

Em tudo isso, o Presidente da República apela às famílias, que devem ser a primeira linha de defesa e cuidados dessas pessoas, a “amar, cuidar e incluir”. O amor, considera, é “a primeira dimensão do cuidado às pessoas com deficiência que recai sobre as famílias”.

Entre outros aspetos, o Presidente José Maria Neves chama ainda atenção para a VBG e o vandalismo de bens públicos, designadamente equipamentos sociais, como outros sinais preocupantes de incivilidade e que devem ser combatidos, daí a importância da educação para a cidadania.

Quanto à iniciativa do seminário promovido numa parceria entre a Uni-CV e a Associação Colmeia, o Mais Alto Magistrado da Nação realça a sua importância para um trabalho conjunto entre Cabo Verde, Portugal e o Brasil nesta matéria que é um desafio universal. E frisa, da mesma forma, que o trabalho feito pelas ONG’s, como é o caso da Colmeia na promoção da inclusão social das pessoas com deficiências deve merecer o carinho e o reconhecimento da sociedade. Da mesma forma defende que “as universidades podem desempenhar um papel fundamental, pois ajudam a compreender os problemas e a encontrar as melhores soluções para os casos de inclusão.”

Leia o discurso, na íntegra, na rúbrica Discursos, através deste link: